Quotebg.png
"Senhor Akatosh lhe empresta a sua força. Quando sua própria força falhar, confine nos Nove."
Sir Amiel Lannus[fonte]

Akatosh, o Dragão-Deus do Tempo,[1] é a divindade chefe dos Nove Divinos,[2] a religião oficial dos impérios humanos em grande parte da história de Tamriel. Ele representa as qualidades de perseverança, invencibilidade e legitimidade eterna.[1] Juntamente com Lorkhan e Mara, ele é uma das três divindades encontradas em quase todas as religiões Tamrielicas, com apenas os Dunmer e Orcs não tem o dragão-deus do tempo em sua crença.[3][1] Ele é geralmente considerado o primeiro dos deuses a se formar no Lugar de Início.[1] Depois de se estabelecer, outros espíritos seguiram seu exemplo e surgiram os vários panteões do mundo.[1] Before the Ages of Man sugere que ele e Auri-El são o mesmo ser, mas confirma que após a sua formação, o tempo começou.[4] Akatosh é considerado o deus-defensor do Império.

Locais de adoração

Capela

Na província de Cyrodiil, sua principal capela era localizada na cidade de Kvatch.[5] Era o deus mais proeminente representado no Temple of the One em Imperial City.[6]

O Temple of the Divines, na cidade de Solitude, na província de Skyrim, tem um Santuário de Akatosh.

Bênçãos

Em suas capelas, Akatosh abençoa paroquianos com aumento de magicka e velocidade.[5] Os livros Ten Commands: Nine Divines tem o seguinte comando de Akatosh:

Quotebg.png
"Sirva e obedeça ao seu Imperador. Estude os Pactos. Adore os Nove, cumpra o seu dever, e guardai os comandos dos santos e sacerdotes."
Ten Commands: Nine Divines

Templos construídos em sua honra podem ser vistos no Arboretum, e no Temple of the One, ambos localizados em Imperial City[5] Arriana Valga, a Condessa de Chorrol, é uma seguidora devota.[7]

Santuários

Rezando em qualquer um desses concederá o Spell Jaws of Akatosh.

Dragon Breaks

Artigo principal: Dragon Breaks

Uma Dragon Break é um evento onde a linha do tempo do mundo de Nirn é dividida. Eles são conhecidos como Dragon Breaks porque Akatosh, que é representado como um Dragão, é o deus do tempo e portanto uma ruptura na linha do tempo pode ser vista como romper o Dragão, por assim dizer.

Somente três Dragon Breaks foram registradas e verificadas historicamente já que, devido a sua natureza, a maioria das pessoas desconhecem suas ocorrências. A primeira foi chamada de Middle Dawn e ocorreu quando as Seletivas Marukhati "dançaram sob a torre".[8] Isso foi feito para remover os aspectos meros de Akatosh, que as Seletivas consideraram ofensivas.[9] Durou por 1.008 ou 150 anos.[10]

A segunda Dragon Break registrada foi a chamada Warp in the West (ou o Milagre da Paz), que foi causada pela construção do Numidium em The Elder Scrolls II: Daggerfall,[11] no entanto, é mencionado que Akatosh, Mara e Stendarr foram responsáveis por este evento.[12] O terceiro Dragon Break, apresentado em The Elder Scrolls V: Skyrim, ocorreu quando os antigos Nords lançaram Alduin para a frente no tempo.

Amulet of Kings

Artigo principal: Amulet of Kings

Estátua de Akatosh em Cyrodiil.

O artefato conhecido como o Amulet of Kings foi criado por Akatosh. Como senhor dos Aedra, Akatosh sentiu pena da condição dos homens, que eram escravos dos Ayleid,ight of Men, who were slaves of the Ayleids,[13] e retirando o precioso sangue de seu próprio coração, abençoou Alessia com o sangue dos dragões. Ele também fez um pacto que enquanto a linhagem de Alessia fossem leais ao sangue dos dragões, Akatosh se empenharia em selar o Oblivion Gate para sempre e impedir os exércitos de Daedra e mortos-vivos aos seus inimigos, os Ayleids.[14] Akatosh então deu o Amulet of Kings para Alessia e o Eterno Dragonfires que, quando aceso, limitaria os Deadra aos reinos de Oblivion. O amuleto contém uma gema de Alessia e oito outras gemas, uma para cada um dos Oito Divinos.[14]

Curiosidades

Referências

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.